sexta-feira, 27 de novembro de 2015

E quando o consulente exige que as cartas digam o que eles querem ouvir?

De vez em quando me chega um cliente autoritário, querendo controlar o que as cartas dirão. Infelizmente, não é assim que funciona. Ou será felizmente? Afinal, o que é melhor: ouvir a verdade e se libertar de uma ilusão ou continuar acreditando em algo que anima o ego, mas que nunca trará felicidade, posto que é mentira?

Eu entendo que muitas vezes é difícil admitir que um relacionamento acabou, que determina pessoa nunca voltará, que nossa saída do emprego foi culpa nossa mesmo. Porém, qual é o crescimento real, se não pudermos aprender com nossos erros? Se não pudermos nos tornar mais fortes frente às dificuldades?

Já me perguntaram, inclusive, se as cartas mentiam. Não, as cartas não mentem. Mas, nós, seres humanos, o fazemos, sempre que a verdade não nos é conveniente.
Por isso, tome cuidado ao perguntar várias e várias vezes ao Tarô e a tarólogos diferentes a mesma pergunta. Numa dessas você pode até ouvir o que deseja, porém, ficará verdadeiramente satisfeito? Isso lhe trará paz de espírito a sua angústia?

Quando o consulente duvída da consulta

Que existem maus tarólogos por aí, isso é verdade. Assim como existem maus médicos, engenheiros, professores…ser tarólogo não é por si ser perfeito. Na verdade, nem mesmo bons tarólogos estão isentos de erros. Afinal, todo mundo é humano, passa mal do estômago, tem problemas pessoais, perdas na família, preocupações com contas a pagar…

O fato é que é importante que haja um clima de confiança entre consulente e tarólogo desde o começo. Se o tarólogo que você consultou errou tudo, você provavelmente não irá mais procurá-lo. Porém, se ele foi de 70 a 90% correto e lhe deu bons conselhos, você certamente voltará.
Porém, existem clientes que, mesmo tendo tido a prova da eficiência interpretativa de um profissional, continuam agindo de forma desconfiada, o que é desagradável, indelicado e deixa qualquer consulta morosa e pesada. Até porque você fazer as leituras com alguém negando e contradizendo tudo o que está saindo é muito desgastante.

Por isso, o melhor a fazer é, em primeiro lugar, aceitar o que está sendo dito. Em segundo, se parecer estranho, pergunte, tire dúvidas, peça para o tarólogo explicar melhor, dar exemplos, etc. Isso permitirá que você saia da consulta com as coisas mais claras na cabeça, pois, se ficar duvidando de tudo o que foi dito, no fim, não aproveitará nenhuma dica ou orientação recebida. Aí sim, você terá perdido seu tempo e dinheiro....

Oração de Santa Sara para Prosperidade


Opcha, Opcha minha Santa Sara Kali, mãe de todos os clãs ciganos dessa terra ou do além túmulo.
Mãe de todos os ciganos e protetora das carruagens ciganas. Rezo invocando teu poder, minha poderosa Santa Sara Kali, para que abrande meu coração e tire as angústias que depositaram aos meus pés. Santa Sara me ajude!
Abra meus caminhos para a fé no teu poder milagroso.
Venceste o mal, todas as tempestades e caminhou nas estradas que Jesus Cristo andou.
Mãe dos mistérios ciganos que dá força a todos os ciganos no dom da magia, me fortaleça agora, sendo eu cigano ou não-cigano.
Bondosa Santa Sara, abranda os leões que rugem para me devorar.
Santa Sara, afugenta as almas perversas para que não possam me enxergar.
Ilumina minha tristeza para a felicidade chegar.
Rainha, atravessaste as águas dos rios e do mar e não afundaste e eu invoco teu poder para que eu não afunde no oceano da vida.
Santa Sara, sou pecador, triste, sofrido e amargurado.
Traga-me força e coragem, como dás ao Povo Cigano teus protegidos.
Mãe, Senhora e Rainha das festas ciganas.
Nada se pode fazer em uma tenda cigana sem primeiro invocar teu nome, e eu invoco pelo meu pedido, Santa Sara Kali.
Tocam os violinos, caem as moedas, dançam as ciganas de pés descalços em volta da fogueira, vem o cheiro forte dos perfumes ciganos, as palmas batendo, louvando o Povo de Santa Sara Kali.
Que o Povo Cigano me traga riquezas, paz, amor e vitórias.
Agora e sempre louvarei teu nome Santa Sara Kali e todo o Povo Cigano.
Opcha, Opcha Santa Sara Kali!

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

PROMOÇÃO: 2 em 1 - Florais de Bach + Remédios Radiônicos





PROMOÇÃO:


ADQUIRA AGORA!
de   R$ 69,90
por
R$ 39,90

Frete R$10,00 valor fixo
enviamos para todo o Brasil

CLIQUE AQUI!
- Florais de Bach Originais personalizados.
- Não possui nenhum tipo de contra-indicação nem efeitos colaterais.
- Valor fixo independente da quantidade de essências a serem manipuladas em seu tratamento. 
- Florais Potencializados Radionicamente. (efeito mais rápido)
- O Terapeuta  poderá vibrar energeticamente remédios radionicos caso haja necessidade, segue a lista a abaixo:
  1. Bem estar com o corpo
  2. Intoxicação alimentar
  3. Ressaca
  4. Inquietude
  5. Picadas de insetos
  6. Repelente de insetos
  7. Indigestão
  8. Primeiros socorros
  9. Traumas físicos comuns
  10. Prontidão mental
  11. Alcançar ânimo
  12. Náuseas e vômitos
  13. Nervo lesionado
  14. Obesidade
  15. Tosse persistente
  16. Pancada
  17. TPM
  18. Proteção conta poluição
  19. Reumatismo
  20. Mastite
  21. Insônia
  22. Dor de garganta
  23. Lesões esportivas 
  24. Gastroenterite
  25. Cansaço nas pernas e pés
  26. Prevenção dos efeitos do frio
  27. Febra alta
  28. Ansiedade do tabaco
  29. Enxaqueca tensional
  30. Enxaqueca latejante
  31. Dor de dentes
  32. Dor de ouvido
  33. Dor
  34. Bursite
  35. Bronquite
  36. Constipação
  37. Gripe
  38. Ciática
  39. Cefaleia crônica
  40. Stress
  41. Ânimo
  42. Diarreia
  43. Dor lombar
  44. Doenças de pele
  45. Depressão
  46. Rejuvenescimento,
  47. Alergias
  48. LER (Lesão por Esforço Repetitivo)
  49. Força interior
  50. Negatividade
  51. Obstáculos para a cura
  52. Abertura do coração
  53. Ataque do pânico
  54. Mágoas
  55. Estilo de vida irregular
  56. Resistência
  57. Ceticismo
  58. Auto-cura
  59. Eventos traumáticos
  60. Pressão profissional
  61. Preocupação
  62. Liberação da tensão
  63. Aumento de energia
  64. Equilíbrio energético
  65. Histeria
  66. Vícios/hábitos
  67. Mau humor
  68. Menopausa

terça-feira, 10 de novembro de 2015

20 dicas de como agir numa consulta de Tarô



 

Quando estamos vivenciando algum momento difícil em nossas vidas, nem sempre é simples organizar as ideias na nossa cabeça e entender exatamente onde está o problema. Por isso, muitas vezes recorremos ao tarólogo para que nos jogue uma luz. Porém, nem sempre ele pode oferecer todas as respostas se você não lhe der algum tipo de direção. Até porque a função dele é interpretar as cartas e não fazer adivinhações.
Neste sentido, elaborei algumas dicas para que você consiga obter o melhor de uma consulta de tarô, pois um dos segredos é a clareza e a objetividade, posto que as cartas respondem exatamente aquilo que você pergunta. Neste sentido, se a pergunta é confusa ou ambígua, a resposta também o será.
  1. Se você está muito confuso, peça para que seja feita uma leitura geral, assim, o Tarô trará seus principais desafios desse momento;
  2. Se estiver muito nervoso ou ansioso, tente se acalmar, pois manter estes estados de espírito apenas confundem as leituras;
  3. Não faça a consulta num local desapropriado, com barulho ou interrupções, no caso de consultas à distância;
  4. Não fique em silêncio esperando que o tarólogo adivinhe o que lhe passa na cabeça. Conte seu problema e suas dúvidas, pois isso orienta melhor a consulta. Afinal, cada carta tem uma gama de significados e ajuda muito saber exatamente qual é o tema;
  5. Por outro lado, você também não precisa contar todos os detalhes da sua vida, pois isso pode induzir o tarólogo a querer lhe aconselhar de acordo com a experiência de vida dele e às vezes a mensagens que as cartas trazem é diferente da opinião do profissional;
  6. Se você tem vários assuntos, divida-os ao longo da consulta, começando pelo mais complexo e que ocupa mais sua mente;
  7. Não misture perguntas numa só. Por exemplo, não pergunte: “eu irei viajar ou terminarei meu curso?” e sim: “Se eu viajar, conseguirei terminar meu curso depois?” ou “Devo terminar meu curso, antes de viajar?”, entre outras possibilidades;
  8. Procure perguntar exatamente o que você quer saber, de forma bem sucinta. Por exemplo: “Fazer a faculdade de direito agora será favorável?” ou “Se eu fizer este empréstimo, conseguirei pagar minha dívida?”;
  9. Se você precisa tomar uma decisão, pergunte: “o que acontecerá se eu seguir caminho X ou Y?” ao invés de “Qual decisão devo tomar?”. Assim, serão feitas duas leituras, uma para cada caminho, para que você possa decidir melhor ou invés de receber uma resposta definitiva que o Tarô não pode dar;
  10. Mais importante do que saber se um relacionamento dará certo ou não, é saber se ele vale à pena. Afinal, você até pode ficar com alguém, mas isso não é garantia de felicidade;
  11. Não faça a consulta se o seu interesse é ficar vasculhando a vida de outras pessoas. Pois, se você faz isso, fere a privacidade do outro, se esquecendo que o importante é ter clareza sobre a própria vida e não tentar controlar a vida alheia;
  12. Não espere respostas definitivas do Tarô. Por mais que existam tendências futuras fortes, quem vai determinar se as coisas se encaminharão de um jeito ou de outro é você mesmo;
  13. O Tarô pode lhe dar conselhos, mas não pode decidir por você. Além disso, o tarólogo não tem a obrigação de resolver seus problemas. Se o fizer, estará assumindo a responsabilidade sobre os seus atos, o que não é bom nem para você, nem para ele;
  14. Não pergunte se alguém irá morrer, nem detalhes muito específicos como nome ou lugares, pois isto é um tipo de informação que as cartas não dão;
  15. Não faça a consulta com outra pessoa, pois isso pode fazer com que você não se abra totalmente. Além disso, o outro pode influenciar no sentido de não querer que certas respostas sejam reveladas;
  16. Esteja disposto a ouvir respostas desfavoráveis. Nem sempre aquilo que você quer é bom para você ou dará certo;
  17. Aprenda a aceitar a resposta que vier pelas cartas. Às vezes precisamos meditar um pouco sobre elas até que façam total sentido. Por isso, não é bom perguntar a mesma coisa, várias e várias vezes;
  18. Não queira fazer uma consulta muito próxima da outra. É preciso tempo para que as coisas se reorganizem na sua vida. Opte por um intervalo de 15 dias, se o assunto for diferente e de no mínimo 1 mês, caso seja um caso que se desenvolve rapidamente. Se, por outro lado, for diagnosticada uma espera longa, é melhor se consultar sobre o mesmo tópico depois de 2, 3 ou até 6 meses;
  19. Escolha o tarólogo que mais tem afinidade, pois, se você tiver dúvidas, permitirá que ele o ajude, não bloqueando a leitura com suas desconfianças;
  20. Não pense sobre outros assuntos enquanto consulta, pois o jogo pode ficar truncado. Por exemplo, se você pergunta sobre o relacionamento, não fique pensando no seu trabalho ou no seu chefe.

O que um tarólogo faz afinal?




O que um tarólogo faz afinal?
Como existe certa confusão e uma neblina de misticismo fora de lugar, é sempre bom explicar.

O tarólogo, em essência, lê as cartas de Tarô. E por “ler”, entenda que ele interpreta os simbolismos contidos nestas mesmas cartas, utilizando um jogo pré-determinado (chamado de tiragem ou spread), cujas posições vão revelar coisas distintas, como o que é favorável, desfavorável e o resultado, no caso de uma composição de 3 cartas, por exemplo. Tudo isso para responder a uma questão da pessoa que o procura.

Desse modo, pode-se comparar o tarólogo a um instrumentista. Alguém que tem domínio de uma ferramenta e que a usa para atingir determinado fim. Porém, se tratando de algo muito subjetivo, posto que os símbolos presentes nas cartas formam uma linguagem única, tal como as palavras escritas de determinada maneira compõem a língua de uma nação, compreender como alguém pode extrair tanta informação de um monte de figuras, pode soar estranho e até mesmo fantástico. Por isso, não é de se espantar que muitas pessoas pensem que seja necessário que o tarólogo tenha uma mediunidade aflorada, vendo ou ouvindo espíritos.

(É claro que existem tarólogos médiuns, mas essa não é a regra, pois qualquer pessoa que se predisponha a aprender, irá conseguir utilizar o Tarô e extrair dele os conselhos, diagnósticos e previsões que necessita).

E como funciona a consulta na prática?

Considerando que o Tarô é um baralho composto por 78 cartas – cada uma com seu conjunto simbólico e, portanto, com seus significados -, quando fazemos uma pergunta, escolhemos uma tiragem adequada, embaralhamos as cartas necessárias e as dispomos numa mesa, aquele conjunto irá formar uma espécie de mensagem com começo, meio e fim. Quem desconhece os significados irá apenas ver as figuras e pode até intuir a resposta, entretanto, quanto mais se conhece os símbolos, mais profundas são as respostas possíveis.

Assim, um tarólogo que não estuda, tenderá a ter interpretações mais superficiais que aquele que está sempre se reciclando. Então, tal como em qualquer outra profissão, o tarólogo também tem formação. No Brasil, existem inúmeros livros, seminários, encontros, cursos, nos quais os profissionais se encontram, trocam ideias, fazem pesquisas, assistem palestras. Tudo isso para que as leituras sejam acuradas e estejam de acordo com o que realmente saiu nas cartas e não com achismos ou mesmo opiniões do próprio tarólogo. Tanto é que muitas vezes o profissional pode achar que vai acontecer determinada coisa com o consulente e as cartas mostrarem um destino completamente oposto.

E precisa haver fé para consultar as cartas?
Não. O que sair nelas é o que sairia você acreditando ou não. De todo modo, será mais útil considerarmos os conselhos do que simplesmente nos fecharmos a novas possibilidades. Apesar disso, não se pode afirmar com certeza qual é o mecanismo por trás do jogo de Tarô, que faz com que as cartas certas saiam para retratar aquela pessoa específica que o questiona.

Os junguianos podem dizer que se trata do inconsciente coletivo, que conecta as mentes de todos nós. Outros falarão da questão energética, que faz o consulente (e até mesmo o tarólogo) puxar as cartas certas. Os espiritualistas dirão que são espíritos protetores que “sopram” qual é a carta a ser tirada. Os céticos talvez digam que é a probabilidade ou mero acaso, ou que a pessoa se auto-induz.

O fato é que, na prática, funciona e muitas pessoas são ajudadas e passam a ter mais consciência de suas ações, pensamentos e sentimentos. No fundo, fazer uma consulta de Tarô é fazer uma terapia ou, pelo menos, se reservar um momento para reflexão, mesmo que seja para decidir coisas corriqueiras, como fechar um contrato, viajar esta semana ou na próxima, vender um imóvel, etc.

Enfim, ler cartas não pode mais ser confundido com magia, superstição, engodo, brincadeira, misticismo, adivinhação ou amarrações. Por isso, repita comigo: tarólogo é quem interpreta os símbolos das cartas de Tarô para responder perguntas de seus consulentes. Simples assim.