quarta-feira, 4 de maio de 2016

ORAÇÃO DO PERDÃO






Buscando eliminar todos os bloqueios que atrapalham minha evolução, dedicarei alguns minutos para perdoar.
A partir deste momento, eu perdôo todas as pessoas que de alguma forma me ofenderam, me injuriaram, me prejudicaram ou me causaram dificuldades desnecessárias.
Perdôo, sinceramente, quem me rejeitou, me odiou, me abandonou, me traiu, me ridicularizou, me humilhou, me amedrontou, me iludiu.
Perdôo, especialmente, quem me provocou até que eu perdesse a paciência e reagisse violentamente, para depois me fazer sentir vergonha, remorso e culpa inadequada. Reconheço, que também fui responsável pelas agressões que recebi, pois várias vezes confiei em indivíduos negativos, permiti que me fizessem de bobo e descarregassem sobre mim seu mau caráter.
Já estou livre da necessidade compulsiva de sofrer e livre da obrigação de conviver com indivíduos e ambientes tóxicos. Iniciei agora, uma nova etapa de minha vida, em companhia de gente amiga, sadia e competente: queremos compartilhar sentimentos nobres, enquanto trabalhamos pelo progresso de todos nós.
Jamais voltarei a me queixar, falando sobre mágoas e pessoas negativas. Se por acaso pensar nelas, lembrarei que já estão perdoadas e descartadas de minha vida íntima definitivamente.
Agradeço pelas dificuldades que essas pessoas me causaram, pois isso me ajudou a evoluir, do nível humano ao nível espiritualizado em que estou agora.
Quando me lembrar das pessoas que me fizeram sofrer, procurarei valorizar suas boas qualidades e pedirei ao Criador que as perdoe também, evitando que elas sejam castigadas pela lei da causa e efeito, nesta vida ou em futuras.
Dou razão a todas as pessoas que rejeitaram o meu amor e minhas boas intenções, pois reconheço que é um direito que assiste a cada um me repelir, não me corresponder e me afastar de suas vidas.
(Fazer uma pausa, respirar profundamente algumas vezes, para acúmulo de energia).
Agora, sinceramente, peço perdão a todas as pessoas a quem, de alguma forma, consciente e inconscientemente, eu ofendi, injuriei, prejudiquei ou desagradei.
Analisando e fazendo julgamento de tudo que realizei ao longo de toda a minha vida, vejo que o valor das minhas boas ações é suficiente para pagar todas as minhas dívidas e resgatar todas as minhas culpas, deixando um saldo positivo a meu favor.
Sinto-me em paz com minha consciência e de cabeça erguida respiro profundamente, prendo o ar e me concentro para enviar uma corrente de energia destinada ao Eu Superior. Ao relaxar, minhas sensações revelam, que este contato foi estabelecido.
Agora dirijo uma mensagem de fé ao meu Eu Superior, pedindo orientação, proteção e ajuda, para a realização, em ritmo acelerado, de um projeto muito importante que estou mentalizando e para o qual já estou trabalhando com dedicação e amor.
Agradeço de todo o coração, a todas as pessoas que me ajudaram e comprometo-me a retribuir trabalhando para o bem do próximo, atuando como agente catalisador do entusiasmo, prosperidade e auto-realização.
Tudo farei em harmonia com as leis da natureza e com a permissão do nosso Criador, eterno, infinito, indescritível que eu, intuitivamente, sinto como o único poder real, atuante dentro e fora de mim.
Assim seja, assim é e assim será.

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

E quando o consulente exige que as cartas digam o que eles querem ouvir?

De vez em quando me chega um cliente autoritário, querendo controlar o que as cartas dirão. Infelizmente, não é assim que funciona. Ou será felizmente? Afinal, o que é melhor: ouvir a verdade e se libertar de uma ilusão ou continuar acreditando em algo que anima o ego, mas que nunca trará felicidade, posto que é mentira?

Eu entendo que muitas vezes é difícil admitir que um relacionamento acabou, que determina pessoa nunca voltará, que nossa saída do emprego foi culpa nossa mesmo. Porém, qual é o crescimento real, se não pudermos aprender com nossos erros? Se não pudermos nos tornar mais fortes frente às dificuldades?

Já me perguntaram, inclusive, se as cartas mentiam. Não, as cartas não mentem. Mas, nós, seres humanos, o fazemos, sempre que a verdade não nos é conveniente.
Por isso, tome cuidado ao perguntar várias e várias vezes ao Tarô e a tarólogos diferentes a mesma pergunta. Numa dessas você pode até ouvir o que deseja, porém, ficará verdadeiramente satisfeito? Isso lhe trará paz de espírito a sua angústia?

Quando o consulente duvída da consulta

Que existem maus tarólogos por aí, isso é verdade. Assim como existem maus médicos, engenheiros, professores…ser tarólogo não é por si ser perfeito. Na verdade, nem mesmo bons tarólogos estão isentos de erros. Afinal, todo mundo é humano, passa mal do estômago, tem problemas pessoais, perdas na família, preocupações com contas a pagar…

O fato é que é importante que haja um clima de confiança entre consulente e tarólogo desde o começo. Se o tarólogo que você consultou errou tudo, você provavelmente não irá mais procurá-lo. Porém, se ele foi de 70 a 90% correto e lhe deu bons conselhos, você certamente voltará.
Porém, existem clientes que, mesmo tendo tido a prova da eficiência interpretativa de um profissional, continuam agindo de forma desconfiada, o que é desagradável, indelicado e deixa qualquer consulta morosa e pesada. Até porque você fazer as leituras com alguém negando e contradizendo tudo o que está saindo é muito desgastante.

Por isso, o melhor a fazer é, em primeiro lugar, aceitar o que está sendo dito. Em segundo, se parecer estranho, pergunte, tire dúvidas, peça para o tarólogo explicar melhor, dar exemplos, etc. Isso permitirá que você saia da consulta com as coisas mais claras na cabeça, pois, se ficar duvidando de tudo o que foi dito, no fim, não aproveitará nenhuma dica ou orientação recebida. Aí sim, você terá perdido seu tempo e dinheiro....

Oração de Santa Sara para Prosperidade


Opcha, Opcha minha Santa Sara Kali, mãe de todos os clãs ciganos dessa terra ou do além túmulo.
Mãe de todos os ciganos e protetora das carruagens ciganas. Rezo invocando teu poder, minha poderosa Santa Sara Kali, para que abrande meu coração e tire as angústias que depositaram aos meus pés. Santa Sara me ajude!
Abra meus caminhos para a fé no teu poder milagroso.
Venceste o mal, todas as tempestades e caminhou nas estradas que Jesus Cristo andou.
Mãe dos mistérios ciganos que dá força a todos os ciganos no dom da magia, me fortaleça agora, sendo eu cigano ou não-cigano.
Bondosa Santa Sara, abranda os leões que rugem para me devorar.
Santa Sara, afugenta as almas perversas para que não possam me enxergar.
Ilumina minha tristeza para a felicidade chegar.
Rainha, atravessaste as águas dos rios e do mar e não afundaste e eu invoco teu poder para que eu não afunde no oceano da vida.
Santa Sara, sou pecador, triste, sofrido e amargurado.
Traga-me força e coragem, como dás ao Povo Cigano teus protegidos.
Mãe, Senhora e Rainha das festas ciganas.
Nada se pode fazer em uma tenda cigana sem primeiro invocar teu nome, e eu invoco pelo meu pedido, Santa Sara Kali.
Tocam os violinos, caem as moedas, dançam as ciganas de pés descalços em volta da fogueira, vem o cheiro forte dos perfumes ciganos, as palmas batendo, louvando o Povo de Santa Sara Kali.
Que o Povo Cigano me traga riquezas, paz, amor e vitórias.
Agora e sempre louvarei teu nome Santa Sara Kali e todo o Povo Cigano.
Opcha, Opcha Santa Sara Kali!

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

PROMOÇÃO: 2 em 1 - Florais de Bach + Remédios Radiônicos





PROMOÇÃO:


ADQUIRA AGORA!
de   R$ 69,90
por
R$ 39,90

Frete R$10,00 valor fixo
enviamos para todo o Brasil

CLIQUE AQUI!
- Florais de Bach Originais personalizados.
- Não possui nenhum tipo de contra-indicação nem efeitos colaterais.
- Valor fixo independente da quantidade de essências a serem manipuladas em seu tratamento. 
- Florais Potencializados Radionicamente. (efeito mais rápido)
- O Terapeuta  poderá vibrar energeticamente remédios radionicos caso haja necessidade, segue a lista a abaixo:
  1. Bem estar com o corpo
  2. Intoxicação alimentar
  3. Ressaca
  4. Inquietude
  5. Picadas de insetos
  6. Repelente de insetos
  7. Indigestão
  8. Primeiros socorros
  9. Traumas físicos comuns
  10. Prontidão mental
  11. Alcançar ânimo
  12. Náuseas e vômitos
  13. Nervo lesionado
  14. Obesidade
  15. Tosse persistente
  16. Pancada
  17. TPM
  18. Proteção conta poluição
  19. Reumatismo
  20. Mastite
  21. Insônia
  22. Dor de garganta
  23. Lesões esportivas 
  24. Gastroenterite
  25. Cansaço nas pernas e pés
  26. Prevenção dos efeitos do frio
  27. Febra alta
  28. Ansiedade do tabaco
  29. Enxaqueca tensional
  30. Enxaqueca latejante
  31. Dor de dentes
  32. Dor de ouvido
  33. Dor
  34. Bursite
  35. Bronquite
  36. Constipação
  37. Gripe
  38. Ciática
  39. Cefaleia crônica
  40. Stress
  41. Ânimo
  42. Diarreia
  43. Dor lombar
  44. Doenças de pele
  45. Depressão
  46. Rejuvenescimento,
  47. Alergias
  48. LER (Lesão por Esforço Repetitivo)
  49. Força interior
  50. Negatividade
  51. Obstáculos para a cura
  52. Abertura do coração
  53. Ataque do pânico
  54. Mágoas
  55. Estilo de vida irregular
  56. Resistência
  57. Ceticismo
  58. Auto-cura
  59. Eventos traumáticos
  60. Pressão profissional
  61. Preocupação
  62. Liberação da tensão
  63. Aumento de energia
  64. Equilíbrio energético
  65. Histeria
  66. Vícios/hábitos
  67. Mau humor
  68. Menopausa

terça-feira, 10 de novembro de 2015

20 dicas de como agir numa consulta de Tarô



 

Quando estamos vivenciando algum momento difícil em nossas vidas, nem sempre é simples organizar as ideias na nossa cabeça e entender exatamente onde está o problema. Por isso, muitas vezes recorremos ao tarólogo para que nos jogue uma luz. Porém, nem sempre ele pode oferecer todas as respostas se você não lhe der algum tipo de direção. Até porque a função dele é interpretar as cartas e não fazer adivinhações.
Neste sentido, elaborei algumas dicas para que você consiga obter o melhor de uma consulta de tarô, pois um dos segredos é a clareza e a objetividade, posto que as cartas respondem exatamente aquilo que você pergunta. Neste sentido, se a pergunta é confusa ou ambígua, a resposta também o será.
  1. Se você está muito confuso, peça para que seja feita uma leitura geral, assim, o Tarô trará seus principais desafios desse momento;
  2. Se estiver muito nervoso ou ansioso, tente se acalmar, pois manter estes estados de espírito apenas confundem as leituras;
  3. Não faça a consulta num local desapropriado, com barulho ou interrupções, no caso de consultas à distância;
  4. Não fique em silêncio esperando que o tarólogo adivinhe o que lhe passa na cabeça. Conte seu problema e suas dúvidas, pois isso orienta melhor a consulta. Afinal, cada carta tem uma gama de significados e ajuda muito saber exatamente qual é o tema;
  5. Por outro lado, você também não precisa contar todos os detalhes da sua vida, pois isso pode induzir o tarólogo a querer lhe aconselhar de acordo com a experiência de vida dele e às vezes a mensagens que as cartas trazem é diferente da opinião do profissional;
  6. Se você tem vários assuntos, divida-os ao longo da consulta, começando pelo mais complexo e que ocupa mais sua mente;
  7. Não misture perguntas numa só. Por exemplo, não pergunte: “eu irei viajar ou terminarei meu curso?” e sim: “Se eu viajar, conseguirei terminar meu curso depois?” ou “Devo terminar meu curso, antes de viajar?”, entre outras possibilidades;
  8. Procure perguntar exatamente o que você quer saber, de forma bem sucinta. Por exemplo: “Fazer a faculdade de direito agora será favorável?” ou “Se eu fizer este empréstimo, conseguirei pagar minha dívida?”;
  9. Se você precisa tomar uma decisão, pergunte: “o que acontecerá se eu seguir caminho X ou Y?” ao invés de “Qual decisão devo tomar?”. Assim, serão feitas duas leituras, uma para cada caminho, para que você possa decidir melhor ou invés de receber uma resposta definitiva que o Tarô não pode dar;
  10. Mais importante do que saber se um relacionamento dará certo ou não, é saber se ele vale à pena. Afinal, você até pode ficar com alguém, mas isso não é garantia de felicidade;
  11. Não faça a consulta se o seu interesse é ficar vasculhando a vida de outras pessoas. Pois, se você faz isso, fere a privacidade do outro, se esquecendo que o importante é ter clareza sobre a própria vida e não tentar controlar a vida alheia;
  12. Não espere respostas definitivas do Tarô. Por mais que existam tendências futuras fortes, quem vai determinar se as coisas se encaminharão de um jeito ou de outro é você mesmo;
  13. O Tarô pode lhe dar conselhos, mas não pode decidir por você. Além disso, o tarólogo não tem a obrigação de resolver seus problemas. Se o fizer, estará assumindo a responsabilidade sobre os seus atos, o que não é bom nem para você, nem para ele;
  14. Não pergunte se alguém irá morrer, nem detalhes muito específicos como nome ou lugares, pois isto é um tipo de informação que as cartas não dão;
  15. Não faça a consulta com outra pessoa, pois isso pode fazer com que você não se abra totalmente. Além disso, o outro pode influenciar no sentido de não querer que certas respostas sejam reveladas;
  16. Esteja disposto a ouvir respostas desfavoráveis. Nem sempre aquilo que você quer é bom para você ou dará certo;
  17. Aprenda a aceitar a resposta que vier pelas cartas. Às vezes precisamos meditar um pouco sobre elas até que façam total sentido. Por isso, não é bom perguntar a mesma coisa, várias e várias vezes;
  18. Não queira fazer uma consulta muito próxima da outra. É preciso tempo para que as coisas se reorganizem na sua vida. Opte por um intervalo de 15 dias, se o assunto for diferente e de no mínimo 1 mês, caso seja um caso que se desenvolve rapidamente. Se, por outro lado, for diagnosticada uma espera longa, é melhor se consultar sobre o mesmo tópico depois de 2, 3 ou até 6 meses;
  19. Escolha o tarólogo que mais tem afinidade, pois, se você tiver dúvidas, permitirá que ele o ajude, não bloqueando a leitura com suas desconfianças;
  20. Não pense sobre outros assuntos enquanto consulta, pois o jogo pode ficar truncado. Por exemplo, se você pergunta sobre o relacionamento, não fique pensando no seu trabalho ou no seu chefe.

O que um tarólogo faz afinal?




O que um tarólogo faz afinal?
Como existe certa confusão e uma neblina de misticismo fora de lugar, é sempre bom explicar.

O tarólogo, em essência, lê as cartas de Tarô. E por “ler”, entenda que ele interpreta os simbolismos contidos nestas mesmas cartas, utilizando um jogo pré-determinado (chamado de tiragem ou spread), cujas posições vão revelar coisas distintas, como o que é favorável, desfavorável e o resultado, no caso de uma composição de 3 cartas, por exemplo. Tudo isso para responder a uma questão da pessoa que o procura.

Desse modo, pode-se comparar o tarólogo a um instrumentista. Alguém que tem domínio de uma ferramenta e que a usa para atingir determinado fim. Porém, se tratando de algo muito subjetivo, posto que os símbolos presentes nas cartas formam uma linguagem única, tal como as palavras escritas de determinada maneira compõem a língua de uma nação, compreender como alguém pode extrair tanta informação de um monte de figuras, pode soar estranho e até mesmo fantástico. Por isso, não é de se espantar que muitas pessoas pensem que seja necessário que o tarólogo tenha uma mediunidade aflorada, vendo ou ouvindo espíritos.

(É claro que existem tarólogos médiuns, mas essa não é a regra, pois qualquer pessoa que se predisponha a aprender, irá conseguir utilizar o Tarô e extrair dele os conselhos, diagnósticos e previsões que necessita).

E como funciona a consulta na prática?

Considerando que o Tarô é um baralho composto por 78 cartas – cada uma com seu conjunto simbólico e, portanto, com seus significados -, quando fazemos uma pergunta, escolhemos uma tiragem adequada, embaralhamos as cartas necessárias e as dispomos numa mesa, aquele conjunto irá formar uma espécie de mensagem com começo, meio e fim. Quem desconhece os significados irá apenas ver as figuras e pode até intuir a resposta, entretanto, quanto mais se conhece os símbolos, mais profundas são as respostas possíveis.

Assim, um tarólogo que não estuda, tenderá a ter interpretações mais superficiais que aquele que está sempre se reciclando. Então, tal como em qualquer outra profissão, o tarólogo também tem formação. No Brasil, existem inúmeros livros, seminários, encontros, cursos, nos quais os profissionais se encontram, trocam ideias, fazem pesquisas, assistem palestras. Tudo isso para que as leituras sejam acuradas e estejam de acordo com o que realmente saiu nas cartas e não com achismos ou mesmo opiniões do próprio tarólogo. Tanto é que muitas vezes o profissional pode achar que vai acontecer determinada coisa com o consulente e as cartas mostrarem um destino completamente oposto.

E precisa haver fé para consultar as cartas?
Não. O que sair nelas é o que sairia você acreditando ou não. De todo modo, será mais útil considerarmos os conselhos do que simplesmente nos fecharmos a novas possibilidades. Apesar disso, não se pode afirmar com certeza qual é o mecanismo por trás do jogo de Tarô, que faz com que as cartas certas saiam para retratar aquela pessoa específica que o questiona.

Os junguianos podem dizer que se trata do inconsciente coletivo, que conecta as mentes de todos nós. Outros falarão da questão energética, que faz o consulente (e até mesmo o tarólogo) puxar as cartas certas. Os espiritualistas dirão que são espíritos protetores que “sopram” qual é a carta a ser tirada. Os céticos talvez digam que é a probabilidade ou mero acaso, ou que a pessoa se auto-induz.

O fato é que, na prática, funciona e muitas pessoas são ajudadas e passam a ter mais consciência de suas ações, pensamentos e sentimentos. No fundo, fazer uma consulta de Tarô é fazer uma terapia ou, pelo menos, se reservar um momento para reflexão, mesmo que seja para decidir coisas corriqueiras, como fechar um contrato, viajar esta semana ou na próxima, vender um imóvel, etc.

Enfim, ler cartas não pode mais ser confundido com magia, superstição, engodo, brincadeira, misticismo, adivinhação ou amarrações. Por isso, repita comigo: tarólogo é quem interpreta os símbolos das cartas de Tarô para responder perguntas de seus consulentes. Simples assim.

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Toda consulta de tarô é igual?

O que esperar e não esperar de uma consulta de Tarô



Se o tarólogo for uma pessoa ética, com certeza você pode esperar dele respeito, cordialidade e bondade, pois o que leva alguém a esta profissão é o legítimo desejo de ajudar os outros (até porque, se a intenção for apenas estudar os símbolos e a história do Tarô, não é necessário fazer atendimentos. Neste caso, a pessoa em questão se torna apenas um pesquisador/escritor).

Portanto, se você espera por rituais mágicos, roupas brilhantes, ambientes escuros e enevoados, talvez se decepcione, pois a maioria dos tarólogos sérios se veste normalmente e têm preferência por lugares claros, aconchegantes e neutros, para que qualquer pessoa, de qualquer crença ou religião possa ser atendido, sem nenhum constrangimento.

Aliás, este é um dos pontos principais de um bom tarólogo: o respeito e a falta de julgamento. Não cabe àquele que interpreta as cartas condenar você. Já bastam nossos familiares, amigos e a sociedade em si, não é mesmo?

As cartas em si não tem moralidade. Elas podem afirmar que alguém que cometeu maldades irá triunfar, pois é isso que está de fato acontecendo no presente. No entanto, se você pedir um conselho, com certeza as cartas não terão diplomacia e falarão a verdade, mesmo que você não queira ouvir.

Outro ponto fundamental é a confidencialidade. Tarólogo profissional não sai por aí fofocando sobre sua vida. O que é dito na consulta, fica na consulta. E, para falar a verdade, depois de se atender 20 pessoas numa semana, os detalhes se perdem. Por isso, não espere que o tarólogo que lhe recebeu semanas, meses ou até anos atrás se lembre exatamente o que foi lido e discutido no seu atendimento. Ele é um ser humano, não uma máquina. Felizmente para o consulente, sempre se pode gravar a consulta, fazer anotações, salvar o histórico da conversa, se a consulta for feita online. Isso ajuda a meditar melhor sobre o que foi dito, além de perceber como as previsões se materializam ao longo do tempo.

Outra coisa que você pode esperar de um tarólogo correto são consultas sem tom fatalista. Mesmo que algo negativo saia, haverá o esforço em encontrar soluções, mesmo que a dica seja apenas para você ficar quieto num canto, esperando tudo passar. Por isso, não se deve igualmente esperar a intervenção de entidades espirituais durante uma consulta, muito menos se deve transferir a culpa de seus problemas a elas. Mesmo que haja um obsessor ao seu lado, semelhante atrai semelhante. Ninguém é vítima de ninguém. Se não se muda a energia, as circunstâncias ao nosso redor também não se alteram. Isso posto, fuja de todos aqueles que cobram fortunas para fazer supostas “limpezas” e que ainda fazem ameaças caso você não cumpra o combinado.

Por fim, apesar de todas estes bons aspectos, não espere 100% de acerto, pois isso não é possível. Isso acontece porque quem controla o próprio futuro são os consulentes e não o tarólogo. O que se vê na hora são as tendências mais fortes, mas sempre cabe ao cliente a responsabilidade por neutralizar ou diminuir o mal ou ampliar e fortalecer o bem. Afinal, mesmo grandes tarólogos não tem a capacidade de ler mentes. Assim, não entre numa consulta mudo, esperando a melhor leitura do mundo. Quanto mais clara for sua pergunta, mais exatidão terá a resposta.

Minha Fanpage no Facebook


Curtam a minha Fanpage no Facebook, e clique em obter notificações, para receber minhas atualizações diárias pois estou sempre postando mensagens de auto ajuda e palavras edificantes que levantam a auto estima.

 FanPage Victor Manolo - Tarólogo



Devo me consultar de quanto em quanto tempo?

Qual deve ser o intervalo entre uma consulta e outra de Tarô?



O intervalo de tempo entre uma consulta e outra varia de acordo com o que foi visto nas cartas e os temas trabalhados. De praxe pede-se que se espere 30 dias. No entanto, segue abaixo algumas situações para que fique mais claro como funciona a questão do tempo, dependendo do caso:

Se você fez uma consulta sobre um tema, como amor e agora quer fazer sobre finanças, não precisa esperar, pois são assuntos distintos, que não necessariamente vão interferir um no outro;

Se você quer saber como está seu relacionamento atual e saiu tudo bem, tirar na semana que vem novamente não fará muito sentido, portanto, espere o mínimo de 30 dias;

Se você está estudando para concursos ou está esperando o resultado de um processo na justiça, a leitura provavelmente viu as coisas bem em longo prazo, assim, não adianta ficar vendo todo mês. Pode espaçar mais, de três em três, por exemplo;

Se seu intuito é autoconhecimento, a consulta pode ser feita mensalmente, para você acompanhar como suas atitudes estão se transformando por meio do que as previsões mostram;

Se você está buscando emprego, por exemplo, e saiu que a tendência é que você demore mais de 3 meses para encontrá-lo, fazer a consulta com a mesma pergunta daqui a um mês pode não ajudar, salvo se você mudou seu comportamento. Senão, a tendência é que a previsão permaneça a mesma e você se fruste com o resultado;

Se você se separou de alguém e saiu que não existe volta, dificilmente o quadro mudará na semana seguinte ou daqui a 15 dias, principalmente se saiu como conselho que você tem que ter paciência ou voltar mais sua atenção para si mesmo;

Se você fez uma Consulta Completa, pode esperar uns 4 meses pelo menos, a não ser que queira ver temas diversos. Se for apenas um, pode escolher a Consulta Simples;

Se a dúvida que você tem não pôde ser encaixada em nenhuma das situações acima, entre em contato comigo, Victor Manolo - Tarólogo.

Pode consultar no dia a dia???


Qual a utilidade de uma consulta no dia a dia???



Há de se perguntar qual é a utilidade do Tarô na nossa vida cotidiana, pois geralmente se associa uma leitura de cartas com momentos muito especiais ou como uma forma de sanar a curiosidade. Porém, após 10 anos mexendo com isso, para mim é evidente o quanto o Tarô pode ser útil quando usado de maneira constante (sem exageros, claro). Afinal, o objetivo não é impedir a manifestação do livre-arbítrio e sim maximizar a eficiência de nossas escolhas.
Então, preparei algumas de uma série de situações nas quais ler o Tarô pode nos ajudar:

Quando a consulente está envolvida com homem casado
Quando um casamento está prestes a terminar
Quando alguém estuda para concurso
Quando uma pessoa resolve comprar um bem
Quando se está desempregado
Quando se sente deprimido
Quando sempre fracassa na mesma situação
Quando não se vai bem no emprego
Quando se sente invejado ou vítima de intrigas
Quando não se sabe se deve ou não fazer um investimento

Leia cada um ou os que mais se aplicam ao seu momento e agende uma consulta de Tarô.
Você verá como fica mais fácil decidir quando se tem clareza do que se vive.

quinta-feira, 9 de julho de 2015

O que o consulente busca quando faz uma consulta de Tarô?


Quando uma pessoa busca por uma consulta de tarô, existem várias coisas que deseja encontrar, além de apenas respostas para suas perguntas.  Por isso, não basta ao tarólogo apenas ter conhecimento das cartas, o que significam e suas possíveis aplicações.
É importante também que tenha algumas características pessoais, tais como honestidade, objetividade, empatia e ética.

Veja alguns anseios comuns a todos os consulentes e que merecem ser atendidos:


Precisão: 
Não há nada pior do que fazer uma consulta e sair dela sem muita clareza do que foi dito ou quais são suas reais possibilidades;

Honestidade: 
Por mais que queiramos só ouvir coisas boas, sabemos que, na prática, é melhor lidar com a verdade do que com a ilusão;

Empatia: 
Ter que contar seus segredos e problemas a um estranho já não é fácil. Imagine então fazê-lo com alguém que não parece se importar com você;

Não ser julgado: 
Ninguém é perfeito e muitas vezes, quando procuramos o tarô é porque sabemos que erramos em algo. Assim, ser criticado ou julgado pelo tarólogo
pode nos fazer mais mal que bem;

Conforto:
Mesmo que coisas desagradáveis sejam ditas, todos esperam sempre ouvi-las de forma mais leve, acompanhadas de proposições sobre possíveis soluções.
Afinal, ninguém quer sair derrubado de uma consulta;

Aconselhamento:
Mais do que apenas ver o futuro, o tarólogo também pode oferecer guias de como resolver problemas, atenuar situações desconfortáveis ou maximizar oportunidades;

Ser ouvido: 
Nem sempre temos com quem falar sobre nossas dúvidas. Assim, nada melhor do que poder ser ouvido por alguém, não é mesmo?

Privacidade: É preciso confiar que o profissional não sairá por aí contando para todo mundo o que leu para você. Para o tarólogo, o que é dito numa consulta,
deve sempre morrer na consulta;

Respeito à diversidade: É essencial manter um clima de neutralidade, sem imposição de religião ou visão política. Assim, qualquer pessoa, de qualquer crença
ou cultura pode obter os benefícios da consulta sem se sentir ofendido.


Se estas são as coisas que procura, você poderá se beneficiar muito com uma consulta de tarô!




Ligue ou chame no watsapp (11)94840-4000 
e marque uma consulta com o Tarólogo Victor Manolo

Banho azul- crie um escudo protetor


Para que serve o banho de anil ?

Quando vestimos a cor azul, os desencarnados não nos detectam, nem mesmo os objetos banhados com o azul, pois é uma cor radiante e  o ambiente torna-se energizado.

O azul é uma cor consagrada, é a cor do céu e a cor do manto a Virgem Maria. O azul tem vibração energética de proteção, cura e paz.

O banho de anil, o que é?

Não é o anil que exorciza os espíritos obsessores, e sim a cor azul.  O banho fortalece a  aura, se mistura a aura humana e afastando  energias negativas e obsessores.



Como fazer o banho de anil para se proteger?


Tome banho higiênico normalmente. Após pegue 1 balde com mais ou menos uns 8 litros de água dissolvido com  1 pedra de anil e jogue pelo corpo. Sempre do pescoço para baixo. Não jogar o anil na cabeça, pois a cabeça é onde temos nosso chakra coronário, é ele que nos conecta a Deu e ao plano divino e a função do banho  anil é tampar  os chakras do corpo para que os espíritos obsessores não tenha acesso a você. Se banhar a cabeça com o anil, o chakra irá se fechar e  nem mesmo os anjos irão conseguir chegar a você. Isso serve também para o banho de sal grosso, nunca banhar a cabeça (nossa coroa).

Durante o banho, mentalizar proteção e fazer  uma oração. Após o banho, não se enxugue, deixe secar naturalmente.

Anil na casa:



É recomendado  após o banho azul, fazer a limpeza da casa passando um pano molhado diluído com anil (1 balde  de 8 litros e pedra de 1 anil) no chão da casa, nos rodapés, nos batentes da porta, azulejos e banheiro.  Limpando tudo de dentro para fora.  Os obsessores gostam de permanecer na cozinha e banheiro, pois são ambientes frios, adaptável para entidades negativas.  Após a limpeza jogar o pano no lixo ou lave bem e seque-o no sol.

 Essa limpeza afasta as energias sugadoras do ambiente. Mas lembre-se, sem fé nada acontece! A cura da obsessão depende muito do obsedado, transformando suas atitudes e elevando sua frequência vibratória. A prece é o mais poderoso auxiliar para agir contra o espírito obsessor.




domingo, 5 de julho de 2015

Você sabe reconhecer um bom tarólogo?


Victor Manolo - Tarólogo





Infelizmente, como em todas as profissões, existem pessoas sérias, comprometidas e outras que simplesmente se aproveitam da ingenuidade ou carência das pessoas. Por isso que vemos tantos erros médicos, golpes de advogados, vendedores com produtos duvidosos e também pseudo-tarólogos que querem viver às custas da credulidade humana.
Por isso, após tanto tempo atuando nesta área, posso dizer que, com um pouco de cuidado e observação, é muito fácil reconhecer um bom tarólogo, evitando assim cair nas mãos de um aproveitador que, além de prejudicar tantas pessoas, geram desconfiança generalizada, impedindo que elas possam se beneficiar de um trabalho honesto.
Afinal, ao contrário do que se prega, Tarô e misticismo ou esoterismo, não precisam ser sinônimos. O Tarô é apenas uma ferramenta que, apesar de não conhecermos exatamente sua origem, todos nós podemos usá-la. Ou seja, a diferença real entre uma pessoa comum e um tarólogo é que este último desenvolveu mais sua intuição e estudou profundamente os símbolos e os métodos desse ofício. Portanto, como um especialista em qualquer outra área, o tarólogo serve de ponte entre você e o tarô.
Dessa forma, para saber se a pessoa que você consulta é idônea, é preciso perceber algumas coisas. Por exemplo, um bom tarólogo:
• não promete nada, nem tenta resolver seus problemas;
• não precisa usar roupas folclóricas, nem fazer rituais ou se apresentar sob uma aura de mistério;
• não precisa fazer expressões sérias, de medo, como se o que visse nas cartas fosse algo muito terrível;
• costuma dizer que cartas não mostram verdades absolutas, apenas tendências futuras baseadas no presente;
• não faz trabalhos espirituais para que você consiga o que deseja;
• não invade a privacidade ou o livre-arbítrio de outras pessoas;
• não tece julgamentos ou lhe condena;
• não faz ameaças, nem chantagens emocionais;
• não cobra valores abusivos se aproveitando da sua necessidade ou desespero;
• não procura gerar dependência em você, lhe dando respostas ambíguas para que você o procure muitas vezes seguidas;
• não permite que você faça a mesma pergunta, várias e várias vezes;
• não tem medo de lhe falar a verdade, mesmo que seja difícil de aceitá-la;
• não faz previsões de mortes;
• não se vende como um ser especial, cheio de poderes místicos;
• não vê “tudo sobre sua vida”, sem antes conversar com você;
• não tece consultas genéricas que sempre trazem as seguintes mensagens: “tem pessoas que lhe invejam”; “alguém fez um trabalho para você e a pessoa que gosta não ficarem juntos”, “você terá fortuna, se jogar na loteria”, etc;
• não precisa ser vidente, nem médium ou estar associado a qualquer tipo de religião.
Espero que com este pequeno guia você possa escolher melhor, sendo ajudado pelo trabalho de tantos bons tarólogos que existem por aí e que se sustentam com honestidade e amor por este instrumento maravilhoso que é o Tarô.